05/12/2018

Tudo o que você precisa saber para planejar a troca de carro

Você quer trocar de carro sem adquirir dívidas? Confira as dicas que trouxemos neste post e saiba como se planejar!

Comprar o primeiro veículo é uma grande conquista. Depois dela, os motoristas começam a pensar nas próximas fases: é hora de curtir sua aquisição, equipar com acessórios, cuidar das manutenções e, em algum momento, vai chegar o dia também de realizar a troca de carro.

Mesmo que o seu veículo seja um grande companheiro, em algum momento pode surgir a necessidade de comprar outro modelo. Para evitar problemas nessa troca, é importante avaliar tudo com cuidado. Mas quais são os principais motivadores para realizar a troca do veículo?  

Levantamos a seguir alguns pontos: mudanças nas necessidades da família, desvalorização acentuada do modelo atual (especialmente quando o modelo sai de linha ou quando ocorrem mudanças significativas nas versões mais novas do carro) e visitas frequentes à oficina mecânica. Por isso, levando em conta esses fatores, você consegue decidir com mais segurança.

Quando a decisão já está tomada é hora de se planejar. Sim, para substituir o seu carro é fundamental se organizar financeiramente e seguir algumas dicas para fazer um bom negócio. Quer ajuda? Conheça nossas dicas neste post completo!

Entenda a importância de um bom planejamento

Infelizmente, o hábito de controlar as finanças não é um ponto forte da maioria dos brasileiros: o nosso país tem uma média de 60% das pessoas endividadas. Muitas dessas parcelas são iniciadas sem o devido planejamento, o que faz com que as pessoas caiam também na inadimplência, prejudicando todo o orçamento familiar.

Alguns dos vilões são os empréstimos, os financiamentos e as compras parceladas no cartão. Os juros do cheque especial e das parcelas pendentes podem ser uma cilada quando não utilizadas com cautela. Entretanto, essas nem sempre são estratégias negativas. Na verdade, o que diferencia atitudes financeiramente saudáveis é a forma como a pessoa lida com o dinheiro. Se forem tomados alguns cuidados essenciais, é possível aproveitar o crédito sem grandes apertos.

Um requisito essencial para planejar a compra de um novo carro é estar com seu orçamento sob controle. Outro cuidado necessário é analisar as possibilidades e incluir os custos no seu planejamento financeiro. O que será investido na compra do carro precisa encaixar com facilidade no seu controle orçamentário.

Além disso, também é preciso considerar eventos futuros. Portanto, uma dica importante é considerar toda a duração das parcelas no momento de planejar seus próximos passos. Uma boa alternativa é se comprometer com valores menores, prevendo o aumento dos gastos familiares, por exemplo.

Viu como um bom controle financeiro oferece mais segurança para a sua família? Estar livre de dívidas, ter parcelas que cabem no bolso e montar uma reserva financeira aumenta conforto e a qualidade de vida. Todas essas ações evitam problemas e tornam a troca do carro muito mais satisfatória.

Identifique o momento de trocar de carro

Agora que você já sabe a importância de ter um planejamento financeiro, vamos falar sobre a hora de substituir o seu veículo por um modelo mais novo. Para preparar essa compra, o primeiro passo é ter certeza da necessidade.

Como dissemos, um dos principais fatores para a mudança é quando os seus objetivos para ele mudam. Isso pode acontecer pelo aumento da família — afinal, um bebê a caminho geralmente vai exigir mais espaço, segurança e conforto.

É o caso também quando você precisa de novas facilidades, como um porta-malas maior para carregar objetos ou mais potência para realizar viagens longas. Para quem deseja trabalhar como motorista ou vai viajar muito no carro vale a pena investir nesses quesitos.

Além desses fatores, um indicador de que chegou o momento de realizar a troca de carro é quando você tem gastos significativos com a manutenção do seu veículo atual. Se as correções estão acontecendo em frequências cada vez mais próximas e os custos aumentaram, é sinal de que o tempo de uso está se tornando desfavorável.

Com o aumento da quilometragem rodada, as peças do carro vão ultrapassando a vida útil e é preciso substituí-las. Em veículos mais antigos (a partir de 70 mil quilômetros rodados) as manutenções preventivas e corretivas fazem parte da rotina. Para evitar ficar na mão, é interessante manter o check-up do carro em dia ou considerar a compra de um modelo mais novo.

Mas fique atento: não é preciso esperar o carro ficar muito velho para planejar a troca. Também costuma ser muito vantajoso fazer a substituição antes, já que veículos em boas condições de uso geram melhores negociações na troca. Assim, se você está há três ou quatro anos com o seu e quer aproveitar um bom momento para vendê-lo, também pode ser uma ótima opção.

Por fim, existe, ainda, outro motivo que justifica a troca de carro: quando você se arrepende da compra que fez. É o caso quando alguém não pesquisa o suficiente e acaba adquirindo um veículo que não atende às suas expectativas. Algumas possibilidades são: não gostar da marca, sentir falta de algum acessório importante, ficar insatisfeito com a dirigibilidade ou não conseguir arcar com os custos de consumo e manutenção com facilidade.

Guia prático: como planejar a troca de carro sem prejudicar o seu orçamento

Você se encaixa em alguma dessas situações que citamos? Então está na hora de comprar um veículo novo! Agora, que tal ver como fazer isso da melhor maneira para o seu orçamento familiar? Trouxemos dicas essenciais em um guia prático para você organizar essa aquisição e evitar qualquer problema.

Estabeleça objetivos e metas

O primeiro passo para se organizar é traçar os pontos do seu planejamento. Comece pela meta principal: que tipo de carro você pretende comprar? Defina isso considerando os modelos que lhe interessam, o valor médio deles e outras características importantes — como o ano do veículo e os custos com combustível e manutenção das peças.

Não se esqueça que para escolher o carro ideal você tem que saber quais são as suas necessidades. Afinal, não faz sentido comprar uma minivan se sua família não é tão grande e o veículo não vai ser usado para trabalhar. Da mesma forma, um modelo compacto não atende às particularidades de quem precisa de mais espaço.

Depois de identificar suas opções, faça um mapeamento financeiro. Quanto custa o novo carro? Quanto você consegue alcançar vendendo o seu veículo atual? A diferença entre esses dois valores é o que será preciso desembolsar para realizar mais esse sonho na sua vida.

Conhecendo sua realidade financeira é possível avaliar as opções e decidir qual é a melhor. Seja pagando à vista, entrando em um financiamento ou contratando um consórcio de automóveis, o ideal é que você comece a planejar a substituição do carro com antecedência. Dessa forma, tudo é feito com calma e segurança.

Por isso, procure iniciar essa organização pelo menos seis meses antes do período em que você pretende realizar a compra. Esse é um tempo adequado para efetuar todas as pesquisas necessárias e avaliar com cuidado as possibilidades financeiras e as alternativas de aquisição.

Organize-se financeiramente

Como já dissemos, é essencial que as suas finanças estejam sob controle para comprar um carro. Afinal, se trata de um grande compromisso financeiro. Acompanhar as contas com precisão ajuda a fazer uma compra vantajosa e manter a felicidade de realizar um projeto sem desequilibrar as finanças.

Vamos começar pelo básico: você tem registros dos seus gastos mensais? Anotar as receitas e despesas é uma ação indispensável para ter uma relação saudável com o dinheiro. É preciso saber exatamente o quanto entra na sua conta e a forma que esse valor está sendo gasto.

Analisando o orçamento e sabendo o quanto sobra ao final do mês você poderá ter ideia do valor da parcela com o qual pode se comprometer. Também é possível aumentar a economia mensal para fazer sobrar mais dinheiro para a realização desse sonho. Quanto antes isso for feito, mais conforto você vai ter ao realizar a compra do novo carro.

Para colocar em prática, avalie seus gastos por categoria e veja quais custos podem ser reduzidos ou cortados. Por exemplo, muitas pessoas pagam tarifas bancárias ou anuidades de cartão de crédito sem necessidade. Se você está entre elas, converse com as empresas e peça a retirada dessas taxas.

Além disso, veja a possibilidade de obter descontos em contas fixas, como mensalidades de escola ou faculdade e planos de internet ou televisão a cabo. É possível economizar muito dinheiro trocando os contratos ou cancelando serviços que são subutilizados na sua casa.

Outros gastos que podem ser minimizados com facilidade são referentes ao lazer e à alimentação. Se você costuma comer muito fora de casa, estude a alternativa de cozinhar mais. Também é possível se divertir sem gastar tanto dinheiro — algumas alternativas são aproveitar programas gratuitos ou receber os amigos em casa.

Isso tudo, claro, sem afetar a qualidade de vida. É muito importante que você mantenha gastos que são essenciais para sua felicidade. A ideia não é deixar de ter programas de lazer, mas procurar opções que utilizem melhor o dinheiro e permitam flexibilidade no orçamento.

Para não perder sua organização financeira, inclua nos registros todos os custos com a troca de carro. Tanto as possíveis parcelas quanto os gastos com combustível, impostos, revisões e seguro. Dessa maneira, você vai ter a certeza de que existem condições financeiras antes de dar esse passo tão importante.

Fique de olho na situação do mercado

Você sabia que existem momentos mais vantajosos para comprar um veículo? A indústria automobilística e o mercado comercial vivem períodos diferentes ao longo do ano. Analisando cada um é possível aproveitar ótimas oportunidades. É o caso de épocas em que o governo diminui os impostos para estimular o consumo.

Além disso, existem melhores condições quando as montadoras estão lançando novas versões de seus carros. As atenções ficam voltadas para as novidades e o preço de modelos anteriores costuma diminuir. Também é válido aproveitar o bom momento para negociar mais descontos em veículos seminovos.

Fique atento, ainda, a épocas tradicionalmente promocionais — isso depende de cada região ou loja. Portanto, é importante acompanhar de perto. Os preços podem baixar no período natalino, por exemplo, ou as empresas fazerem queimas de estoque no início do ano.

Quem troca de carro tem uma grande vantagem em mãos: não há pressa para comprar um veículo, pois você já tem um para se locomover enquanto decide. Por isso, vale a pena analisar a situação do mercado e pensar em possibilidades futuras. Pode ser interessante adiar a compra em algumas semanas para pagar menos, por exemplo.

A mesma dica serve para análise do mercado financeiro. Dependendo da situação econômica do país, a inflação e os juros de banco estarão mais altos ou mais baixos. Fazer uma compra em épocas de taxas muito grandes pode não ser tão vantajoso. Nesse caso, esperar os ânimos se acalmarem antes de realizar a troca é uma boa dica.

Pesquise bastante

Após analisar o mercado de forma geral e decidir que pode se lançar às compras, lembre-se de pesquisar diversas opções e ter calma na escolha. A troca de carro envolve a avaliação do seu usado e o preço de modelo mais novo. Logo, são muitos detalhes que precisam da devida atenção.

Fazer uma grande pesquisa evita que você perca dinheiro e fique com alternativas pouco vantajosas. Estar munido de informação é essencial para se resguardar. Por isso, consulte a Tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) para o seu veículo e o que você pretende comprar. Use esse valor como base para pesquisas.

Procurar na internet é uma ótima estratégia. Ela reúne diversos anúncios, tanto de empresas quanto de vendedores particulares. Também vale pedir indicação para amigos e familiares, assim você já conhece opções que são confiáveis e praticam bons preços.

Se a sua opção for comprar diretamente de um proprietário, tenha cuidado redobrado. É possível economizar bastante dessa forma, mas infelizmente também existem alguns golpes nesse campo.

Para evitar, desconfie de valores muito abaixo do mercado e leve um mecânico de confiança para avaliar o veículo. Tenha atenção, principalmente, na quilometragem adulterada ou em veículos que já sofreram batidas que comprometem a estrutura com reparos e manutenção camuflada.

Negocie sempre

Nunca feche negócio na primeira visita. Comprar um carro é praticamente uma maratona. Depois de consultar a Tabela FIPE e fazer uma ampla pesquisa na internet, você tem a média de preços do mercado para negociar. Ir a uma loja com essas informações é muito útil.

Com isso, os vendedores podem cobrir valores e oferecer melhores condições para garantir a venda. O mesmo deve ser feito na avaliação do seu usado: leve a melhor oferta para outras lojas e veja se elas conseguem praticar as mesmas vantagens.

Mesmo a melhor negociação que encontrou pode ser superada por um vendedor competitivo. Por isso, abuse do seu poder de persuasão e pechinche à vontade. Lembre-se de que não existe pressa para comprar o carro. Logo, você pode garantir um ótimo negócio.

Ainda na negociação, não deixe de fazer test drive em todos os veículos que estiver considerando. Fique de olhos bem abertos à procura de defeitos ou indicativos de problemas — principalmente se você optar por um seminovo.

Considere um veículo seminovo

A compra de um usado é uma boa opção para quem quer economizar na troca de carro. Você já ouviu falar que o veículo novo sofre depreciação assim que sai da concessionária? Isso faz com que ele perca alguns pontos em relação aos modelos antigos.

É claro que adquirir um carro zero-quilômetro tem suas vantagens. É um produto com garantia de fábrica e há a certeza de ser o único dono. Mas esses aspectos custam mais caro: além de pagar um valor maior, há também os gastos com taxas e o custo maior das revisões, que têm que ser feitas na concessionária para manter a garantia.

Por isso, a escolha entre novo e usado precisa ser feita com muita atenção. Ambas as alternativas apresentam pontos positivos e negativos que devem ser avaliados. Quem deseja que seu dinheiro valha mais vai gostar de saber que pelo preço de um zero-quilômetro popular é possível comprar um seminovo de categoria superior.

No mercado de usados também dá para comprar carros com acessórios e equipamentos diferenciados. Alguns ainda podem estar na garantia, dependendo do ano em que foram fabricados. É possível encontrar essas “joias” com uma pesquisa muito bem realizada e ótima capacidade de negociação.

Conheça o valor do seguro antes de trocar de carro

Como falamos, você precisa incluir no orçamento os gastos adicionais que um veículo gera. Um dos principais deles é o seguro, adicional praticamente obrigatório nos dias de hoje no Brasil. Ele cobre prejuízos com roubo ou acidentes, além de oferecer facilidades, como assistência 24h para panes.

Economizar deixando de contratar um seguro de automóvel não é muito interessante. Imagine ter que arcar com altos custos de uma batida, consertando o seu carro e o de terceiros? Ou, pior, precisar comprar um veículo novo depois de ser vítima de um crime? Pagar o seguro é uma forma de evitar essas situações.

Com isso, você dirige com mais segurança, pois sabe que contará com suporte caso enfrente alguma dificuldade. Os dados de violência e acidentes de trânsito no Brasil justificam esse investimento.

Por esses motivos, a cota do seguro deve ser considerada na hora de escolher um carro. Os contratos costumam ser mais caros para veículos mais novos e de valor maior — já que as peças para manutenção custarão mais.

Verifique as cotações e veja se você tem condições de arcar com o preço. Em casos de limitações financeiras vale a pena escolher um carro que tenha seguro mais barato. Dessa maneira, você evita dificuldades para pagar as contas no futuro.

Pesquise os custos da manutenção

Outro gasto que você vai ter com frequência é referente às revisões do veículo. Nesse ponto, a categoria do carro e a tecnologia agregada contam muito, pois isso encarece as peças e também a mão de obra do mecânico.

Comprar um veículo mais caro e negligenciar as manutenções preventivas não é uma escolha sensata. Fazer a revisão na frequência correta é o que mantém a conservação dos componentes e faz com que eles alcancem sua vida útil ideal. Assim, deixar de cuidar do carro traz problemas e gastos maiores no futuro.

Por isso, realizar as manutenções preventivas, assim como check-ups antes de viajar, deve ser um compromisso de todos os motoristas, não somente para sua segurança, mas para todos que convivem no trânsito. Se você não quer se arrepender da escolha, conheça os custos básicos de revisão dos carros e opte por um que caiba facilmente no seu orçamento.

Essas informações podem ser encontradas nas tabelas de preço das concessionárias. Também é válido conversar com mecânicos sobre esse fator e pesquisar na internet. Há fóruns online com diversos dados importantes, além da opinião de proprietários de veículos de cada marca.

Estude custos de financiamento e taxas de juros

Quando finalmente você decidir o modelo que será seu próximo companheiro, chega o momento de saber como pagar a troca de carro. A dica é realizar uma ampla pesquisa, da mesma forma que foi realizada para encontrar o veículo ideal.

Conheça as alternativas de financiamento e negocie com os bancos e financeiras as condições do contrato. Não se esqueça de ficar atento às taxas de juros cobradas e saber exatamente o quanto está pagando a mais no valor final.

Quem tem um valor de entrada consegue diminuir as parcelas e os juros. Se a negociação não estiver vantajosa e ultrapassar suas possibilidades financeiras, pode ser útil esperar um tempo e juntar um montante maior para diminuir as taxas. Mas se você quer se livrar de vez do pagamento de juros abusivos, veja nossa dica a seguir.

Participe de um consórcio

Contratar um consórcio é a melhor maneira de fazer uma compra planejada para o futuro. Se você quer pagar o mínimo possível, considere essa opção. Nele, você faz o pagamento parcelado e recebe uma carta de crédito com o valor total quando é contemplado.

Quem está trocando de carro aproveita o melhor do consórcio sem sentir a desvantagem da espera. Afinal, você já tem seu veículo e pode continuar com ele, sem pressa para a compra. Mas, caso queira adiantar, é possível dar um lance e ser contemplado antecipadamente.

Pesquise sobre essa opção e conheça as vantagens do consórcio Bancorbrás. Com as dicas que demos nesse post ficou bem mais fácil realizar a troca de carro sem desequilibrar o orçamento, não é? Coloque em prática essas orientações e comemore muito a sua conquista!

E então, gostou deste texto? Continue no blog e leia sobre como pagar menos com o consórcio de automóveis!