22/09/2017

Roma: uma viagem ao passado

Preparamos um roteiro incrível para você curtir a cidade em poucos dias!

Coliseu - Foto Lilian Saldanha

Estar em Roma é se preparar para uma aula de história a céu aberto. Um passeio pelo Centro Histórico da cidade é suficiente para se deparar com monumentos suntuosos como o Coliseu ou o Panteão. E o melhor: dá para fazer quase tudo a pé.

Para quem vai a primeira vez para lá, a dica é ficar próximo ao Centro Histórico. Assim você aproveita mais a estadia e ainda conhece bons restaurantes, cafés e sorveterias pelo caminho. Além disso, estar próximo da estação Termini garante facilidade de deslocamento por trem (para quem deseja ir para lugares próximos a Roma) ou metrô (para conhecer pontos turísticos romanos um pouco afastados).

O que dá para visitar em Roma? Depende da quantidade de dias que você ficará na cidade. Em três dias (inteiros) se consegue aproveitar bastante e conhecer os principais pontos turísticos.

Não deu para conhecer tudo? Relaxe, são tantas opções que sempre haverá algo a mais para ver em uma próxima oportunidade. Por isso, ao invés de sair correndo pelas ruas na ansiedade de visitar todos os pontos turísticos, vá com o pensamento de conhecer o que for possível (com a qualidade que cada passeio merece), deixando sempre alguns locais para outra viagem. É o gostinho de “quero mais” que garante o retorno! 

Como se achar em Roma

Claro, você precisará de um mapa para entender a lógica da cidade e ter uma ideia de onde ficam os pontos turísticos. Mas ande sem medo de se perder. Pode ter certeza, uma rua errada vai te levar a trilhar novas e boas experiências. Sinta o lugar!

Confira o roteiro para aqueles três dias (inteiros) de viagem! 

-- 1º dia --

Coliseu - Foto Lilian SaldanhaColiseu

Iniciar o passeio por aqui é uma boa pedida. Mas esteja preparado para enfrentar a fila se decidir não adquirir ingressos antecipadamente. Afinal, ir a Roma e não conhecer o Coliseu é como não ter ido para lá, não é mesmo?!

Para aproveitar melhor o dia, o ideal é chegar cedo (abre às 8h30) para apreciar com calma o passeio. Depois, a quantidade de pessoas aumenta e fica complicado observar as ruínas tranquilamente. 

Dica: apesar de ser tentador posar para fotos com os inúmeros gladiadores da redondeza, saiba que eles cobram por isso. Mesmo assim, se considerar imperdível essa experiência, combine antecipadamente o valor para não ser surpreendido depois! 

Palatino - Foto Lilian Saldanha

 

Arco de Constantino

O Arco de Constantino fica logo ali ao lado do Coliseu e, portanto, vale uma foto. O monumento tem 25 metros de altura e foi erguido em homenagem a Constantino na batalha da Ponte Mílvia, em 312 d.C. 

Parada para a foto concluída, siga para o Monte Palatino e aproveite o passeio para mergulhar em séculos de história. As ruínas nos remetem à época dos grandes imperadores. 

Pausa para o lanche

A manhã passou voando e você está morrendo de fome? Aproveite para comer uma pizza em um dos restaurantes e cafés das proximidades. Você perceberá rapidamente que nunca comeu nada igual. O molho é incrível e até uma pizza mozarela vai fazer você sentir todo o carinho que os italianos colocam nos pratos.

Relaxe e aprecie o momento. Ninguém é obrigado a comer correndo só para sair visitando outros pontos turísticos. Lembre-se: você está de férias e a viagem deve ser agradável e não penosa! 

Dica: as pizzas são servidas em formato individual. Mas, a menos que você esteja com muita fome mesmo, não estará preparado para devorar uma dessas sozinho. Trazendo para a nossa realidade, a pizza italiana é do tamanho de um sousplat

Fórum Romano

Próxima parada: Fórum Romano. Demore o tempo que for preciso para admirar todas aquelas construções antigas que insistem em ficar de pé mesmo séculos depois. Se preferir, alugue um áudio-guia para conhecer mais sobre o império romano. 


Vista do Monumento Vittorio Emanuele II - Foto Lilian SaldanhaMonumento Vittorio Emanuele II

Não cansou de ficar de queixo caído com tanta beleza? Então é hora de apreciar Roma do alto do Monumento Vittorio Emanuele II. São duas vistas diferentes: do terraço e do topo.

Primeira parada: terraço. Suba a escada na lateral direita e vá até lá. Você já vai se encantar com a vista do Fórum Romano e do Coliseu. Em seguida, pegue o elevador e vá ao topo do Monumento. A vista é de tirar o fôlego.

No local ainda existe um museu dedicado ao exército. Se essa ideia te agradar, você pode passar um tempinho por ali. 

Dica: entre no Vittorio Emanuelle próximo ao cair da tarde, se for possível. Roma fica ainda mais linda quando o sol se põe e rende fotos incríveis de recordação! 

Jantar

A noite chegou e você está no Centro Histórico? A vista do Coliseu iluminado é incrível e você ainda pode aproveitar para jantar e provar uma taça de vinho local em um dos restaurantes que ficam próximos ao monumento.

Se, após isso tudo, você estiver cansado para subir a pé até o hotel, vá até a estação de metrô e pegue a linha até a estação Termini. É super seguro e rapidamente você estará relaxando no seu quarto. 

-- 2º dia --

VaticanoPraça São Pedro - Foto Lilian Saldanha

Mesmo que você não seja católico, vale a pena o passeio. Afinal, o Vaticano faz parte da cultura de Roma e é sempre interessante conhecer lugares que até então vimos somente em fotos e na televisão.

Aqui vai a primeira dica: não é permitida a entrada pessoas com ombros e joelhos a mostra e isso vale para homens e mulheres de todas as idades. Então, nem pense em sair do hotel de bermuda, saia ou com aquele decote exagerado!

Como chegar lá? Como é distante, é melhor você ir de metrô e descer na estação Ottaviano (a mais próxima do Vaticano). De lá, é só seguir o fluxo de turistas. Acredite, todos estão indo para a mesma direção!

A segunda dica é: chegue cedo. A fila para o Museu do Vaticano é imensa (mesmo!) e a revista na entrada é obrigatória. Além disso, a visita é bem completa, o que requer um tempo maior para aproveitar tudo com calma (uma manhã é suficiente).

Quer uma terceira dica? Não fotografe a Capela Sistina. A possibilidade é tentadora, mas nem pense nisso se não quiser passar o vexame de ser repreendido pelo segurança na frente de todos os turistas. E a guarda é bem ríspida, pode acreditar!

Praça São Pedro - Foto Lilian SaldanhaDepois do Museu, você poderá conhecer a Basílica de São Pedro. Olhando de fora, não parece tão grande assim, mas bastam alguns passos dentro da basílica para perceber quão suntuosa é a construção. A sensação é de ser uma formiguinha passeando por aquelas colunas gigantes.

Ainda existe a possibilidade de subir até a Cúpula da Basílica de São Pedro. São 551 degraus da base até o mirante da cúpula. Mas pense bem, pois trajeto é tão estreito que a subida ocorre somente por um lado e a descida por outro. Isso quer dizer que, se você não está tão em forma assim ou se sente mal em ambientes fechados, não deve subir até a cúpula da Basílica.

Melhor fazer a subida pelo elevador? Ainda assim é melhor avaliar bem antes de iniciar o passeio. Após descer do elevador, você enfrentará intermináveis 320 degraus em um corredor bem apertado.

Decidiu subir até a Cúpula da Basílica de São Pedro? A recompensa é uma das vistas mais incríveis do Vaticano. Sabe aquela foto de cartão-postal? Você só conseguirá chegando até lá. É realmente indescritível!

Saindo da Basílica, você tem a possibilidade de escolher um lindo postal e enviá-lo para uma pessoa especial direto do Correio do Vaticano. Fica ao lado direito da Basílica e é uma super dica para surpreender aqueles que ficaram no Brasil. Que tal?!

Fique um tempinho aproveitando a tranquilidade da Praça São Pedro. Apesar de muitos turistas, sempre se encontra um local para sentar e retomar o fôlego. Vale a pena tirar algumas fotos também, claro! 

Pausa para o almoço

Depois de todo esse passeio, você deve estar com fome, certo?! Caminhe pela avenida que fica em frente à Praça São Pedro. Ali você encontrará diversas opções de restaurantes (para todos os bolsos). A dica é escolher uma massa típica e aproveitar. O macarrão ao ragu é maravilhoso (para os carnívoros). É uma massa à bolonhesa diferente, com uma carne de panela bem desfiadinha. Uma delícia! 

Vista do Castelo Sant' Angelo - Foto Lilian SaldanhaCastelo Sant’Angelo

Seguindo pela mesma avenida sentido contrário da Praça São Pedro, você chegará ao Castelo Sant’Angelo. A construção de seis andares foi projetada para ser o mausoléu do Imperador Adriano, no século II d.C. Atualmente, abriga um museu e oferece uma vista maravilhosa de Roma e do Vaticano.

Separe pelo menos uma hora para aproveitar bem o castelo. Afinal, não é todo dia que se pode ter a sensação de fazer parte da realeza não é mesmo?! Do terraço é possível apreciar a beleza e a calma de Roma. 

Dica: o castelo não abre às segundas-feiras. Então, fique atento para a data da viagem! 

Ponte Sant’Angelo

Saindo do castelo, você pode apreciar a vista do Rio Tevere e tirar algumas fotos da Ponte Sant’Angelo. 

Jantar

Próximo à Fontana di Trevi existem diversos restaurantes e adegas bacanas para um jantar. Passear por ali no fim de tarde também é uma delícia. Escolha o melhor local e aproveite! 

Dica: se estiver cansado, vá de táxi. É possível ir a pé, mas é uma bela caminhadinha para um fim de dia. 

-- 3º dia --

Basílica di Santa Maria degli Angeli e dei Martiri

Comece o dia por aqui. A Basílica fica próximo à estação Termini e, portanto, pertinho do seu hotel (se levou adiante o conselho e está hospedado perto do Centro Histórico).

A Basílica não chama tanta atenção por fora, mas acredite, vale a pena visitá-la. A igreja abriga construções em mármore colorido e diversos afrescos. Mas o diferencial fica por conta do relógio solar. Projetado em 1702, também funciona como calendário solar. 

Fontana di Trevi - Foto Lilian SaldanhaFontana di Trevi

Como o dia está apenas começando, você pode aproveitar para ir caminhando até a Fontana di Trevi. Assim, consegue aproveitar para viver a rotina de Roma.

Pela manhã, a fonte não é tão lotada. Mas não pense que será o único a estar lá. A quantidade de turistas que passam diariamente pela fonte é imensa. Aproveite o momento para fazer um pedido e jogar uma moedinha na fonte. Depois bastam algumas fotos e pronto. 

Dica: muitos fotógrafos ficam no local oferecendo os serviços aos turistas e alguns questionam inclusive se você quer que eles façam uma foto com a sua máquina. Fique atento porque eles sempre cobram pelo serviço. Para não ter surpresas, combine antecipadamente os valores. 

Pantheon

Siga a pé até o Pantheon para conhecer ainda mais sobre a vida em Roma. O lugar realmente impressiona. A grande cúpula possui um buraco no topo, permitindo a entrada de luz natural. No entanto, engana-se quem pensa que o lugar fica alagado em dias de chuva. Um sistema de drenagem impede que a agua fique retida. 

Pausa para o almoço

O Pantheon fica na Piazza della Retonda. Lugar super agradável para o almoço. Na praça existem diversos restaurantes. É só escolher o menu que mais lhe agrada e aproveitar. 

Piazza Navona

Se você não estiver com fome ainda, pode deixar para almoçar na Piazza Navona. Lá existem várias opções de cafés e restaurantes. Mas, se preferiu fazer a pausa, continue a caminhada até a praça para uma sobremesa ou um gelato.

Durante o dia, diversos artistas expõem suas obras na praça. O lugar é tão agradável que dá vontade de ficar horas ali só acompanhando o vai e vem de pessoas. 

Piazza di Spagna

Pausa feita, é hora de seguir “viagem” e conhecer ainda mais a cidade. A parada é a Piazza di Spagna, uma das mais charmosas de Roma e, portanto, cheia de turistas. Eles se espalham pelas escadarias e a fonte dá um toque especial ao lugar. Aproveite e faça mais uma pausa gostosa enquanto aprecia o vai e vem de pessoas. 

Dica: a caminhada até a Piazza di Spagna é um pouco puxada. Então, se já estiver cansado, vá de ônibus ou de táxi (como preferir). 

Jantar

Encerre a visita por Roma com um belo jantar em um dos restaurantes da Piazza di Spagna. Você não vai se arrepender! 

Pulo do gato: o seguro-viagem é obrigatório para estadias na Europa. Nós possuímos excelentes opções para você. Clique aqui e saiba mais!